Sejam Bem Vindos,
Louvado Seja O Nosso Senhor Jesus Cristo
R. Para sempre seja louvado!

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Missa dos benfeitores

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!




No dia 14 de junho (domingo) às 08:15hs a Santa Missa será em ação de graças e nas intenções de todas as pessoas que nos ajudam materialmente e espiritualmente (Benfeitores do Carmelo).

Convidamos a todos a participarem conosco desta ação de graças a Deus.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Programação com as Paróquias - V centenário do nascimento de Santa Teresa de Jesus

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Programação com as Paróquias para o V Centenário de Santa Teresa de Jesus

15 de outubro de 2014 - Abertura do Ano Jubilar;

22 de novembro de 2014 - Paróquia de São Camilo de Lelis, Natal / Missa e manhã de espiritualidade;

23 de novembro de 2014 - Paróquia São Pedro, Natal / Missa e manhã de espiritualidade;

10 de janeiro de 2015 - Catedral Metropolitana de Natal / Manhã de espiritualidade e encerramento com missa.



14 de março de 2015 - Paróquia Santa Clara, Pintimbu - Natal / Tarde de espiritualidade;

12 de abril de 2015 -  Paróquia Santo Antônio, Zona Norte de Natal / Missa e manhã de espiritualidade;

19 de abril de 2015 - Paróquia N. Sra. da Conceição, Ceará-mirim / Missa e manhã de espiritualidade;

25 de maio de 2015 - Jovens do Segue-me / Tarde de espiritualidade e encerramento com oração de Vésperas;

20 de junho - Paróquia de Santa Rita, Santa Cruz;

27 de junho - Paróquia Bom Jesus / Missa 8hs e manhã de espiritualidade;

25 de julho - Paróquia N. Sra. de Candelária / Manhã de espiritualidade e encerramento com missa;

Setembro de 2015 - Paróquia N. Sra Aparecida, Neópolis;

15 de outubro de 2015 - Missa Solene no Carmelo às 8hs;

31 de outubro de 2015 - Paróquia Santa Teresinha / Manhã de espiritualidade e encerramento com missa.


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Aviso aos leitores

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!


Caríssimos leitores, durante as atualizações deste blog recebemos e-mails com pedidos de oração e também de pessoas que desejam acompanhamento vocacional com as irmãs.

Quando puserem o e-mail no formulário de contato verifiquem se está correto para que as irmãs possam dar a resposta. Já aconteceu de algumas vezes o endereço de e-mail está incorreto inviabilizando o contato. No perfil do blog o número de telefone está disponível, quem desejar o discernimento vocacional pode entrar em contato também por tal meio.


Atenciosamente,
equipe do blog.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Caminho de Perfeição

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Irmãos, seguindo com as formações do V Centenário de Santa Teresa de Jesus, divulgamos mais um vídeo sobre a espiritualidade de nossa Santa Madre:


Tempo Pascal

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!



"O tempo pascal compreende cinquenta dias (em grego = "pentecostes"), vividos e celebrados como um só dia: "os cinquenta dias entre o domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes devem ser celebrados com alegria e júbilo, como se se tratasse de um só e único dia festivo, como um grande domingo" (Normas Universais do Ano Litúrgico, n 22).

O tempo pascal é o mais forte de todo o ano, inaugurado na Vigília Pascal e celebrado durante sete semanas até Pentecostes. É a Páscoa (passagem) de Cristo, do Senhor, que passou da morte à vida, a sua existência definitiva e gloriosa. É a páscoa também da Igreja, seu Corpo, que é introduzida na Vida Nova de seu Senhor por emio do Espírito que Cristo lhe deu no dia do primeiro Pentecostes. A origem desta cinquentena remonta-se às origens do Ano litúrgico.

Os judeus tinha já a "festa das semanas" (ver Dt 16,9-10), festa inicialmente agrícola e depois comemorativa da Aliança no Sinai, aos cinquenta dias da Páscoa. Os cristãos organizaram rapidamente sete semanas, mas para prolongar a alegria da Ressurreição e para celebrar ao final dos cinquenta dias a festa de Pentecostes: o dom do Espírito Santo. Já no século II temos o testemunho de Tertuliano que fala que neste espaço de tempo não se jejua, mas que se vive uma prolongada alegria.

A liturgia insiste muito no caráter unitário destas sete semanas. A primeira semana é a "oitava da Páscoa', em que já por irradiação os batizados na Vigília Pascal, eram introduzidos a uma mais profunda sintonia com o Mistério de Cristo que a liturgia celebra. A "oitava da Páscoa" termina com o domingo da oitava, chamado "in albis", porque nesse dia os recém batizados deponían em outros tempos as vestes brancas recebidas no dia de seu Batismo.

Dentro da Cinquentena se celebra a Ascensão do Senhor, agora não necessariamente aos quarenta dias da Páscoa, mas no domingo sétimo de Páscoa, porque a preocupação não é tanto cronológica mas teológica, e a Ascensão pertence simplesmente ao mistério da Páscoa do Senhor. E conclui tudo com a vinda do Espírito em Pentecostes.

A unidade da Cinquentena que dá também destacada pela presença do Círio Pascal aceso em todas as celebrações, até o domingo de Pentecostes. Os vários domingos não se chamam, como antes, por exemplo, "domingo III depois da Páscoa", mas "domingo III de Páscoa". As celebrações litúrgicas dessa Cinquentena expressam e nos ajudam a viver o mistério pascal comunicado aos discípulos do Senhor Jesus.

As leituras da Palavra de Deus dos oito domingos deste Tempo na Santa Missa estão organizados com essa intenção. A primeira leitura é sempre dos Atos dos Apóstolos, a história da igreja primitiva, que em meio a suas debilidades, viveu e difundiu a Páscoa do Senhor Jesus. A segunda leitura muda segundo os ciclos: a primeira carta de São Pedro, a primera carta de São João e o livro do Apocalipse."

FONTE: http://www.acidigital.com/pascoa/pascoa.htm

sábado, 28 de março de 2015

Domingo de Ramos

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Estamos na Semana Santa, o centro de nosso tempo litúrgico na Igreja. A Semana Santa é uma oportunidade propícia para darmos uma resposta ao Senhor que dá a vida por nós, que tal entregarmos nossa vida à Ele? Nunca é tarde para converter-nos. Acompanhemos nosso Senhor durante esta semana para gozarmos das alegrias eternas da outra vida. Deixo um texto reflexivo sobre o Domingo de Ramos, em que já era em partes, prenúncio de Sua Paixão.

"A entrada “solene” de Jesus em Jerusalém foi um prelúdio de Suas dores e humilhações."

"A Semana Santa começa no Domingo de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e aclamado pelo povo simples, que O aplaudia como “Aquele que vem em nome do Senhor”. Esse povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia havia poucos dias e estava maravilhado. Ele tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos profetas; mas esse mesmo povo tinha se enganado no tipo de Messias que Cristo era. Pensavam que fosse um Messias político, libertador social que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão.



Para deixar claro a este povo que Ele não era um Messias temporal e político, um libertador efêmero, mas o grande Libertador do pecado, a raiz de todos os males, então, o Senhor entra na grande cidade, a Jerusalém dos patriarcas e dos reis sagrados, montado em um jumentinho; expressão da pequenez terrena. Ele não é um Rei deste mundo! Dessa forma, o Domingo de Ramos dá o início à Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras.

Esses ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas”. Os ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis em que esta é desvalorizada e espezinhada. Os ramos sagrados que levamos para nossas casas, após a Missa, lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

O sentido da Procissão de Ramos é mostrar essa peregrinação sobre a terra que cada cristão realiza a caminho da vida eterna com Deus. Ela nos recorda que somos apenas peregrinos neste mundo tão passageiro, tão transitório, que se gasta tão rapidamente. E nos mostra que a nossa pátria não é neste mundo, mas sim na eternidade, que aqui nós vivemos apenas em um rápido exílio em demanda da casa do Pai. A Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a Paixão de Nosso Senhor Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos causados pelas mãos do soldados na casa de Anãs, Caifás; Seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do Cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, Seu diálogo com o bom ladrão, Sua morte e sepultura.

A entrada “solene” de Jesus em Jerusalém foi um prelúdio de Suas dores e humilhações. Aquela mesma multidão que O homenageou, motivada por Seus milagres, agora vira as costas a Ele e muitos pedem a Sua morte. Jesus, que conhecia o coração dos homens, não estava iludido. Quanta falsidade há nas atitudes de certas pessoas! Quantas lições nos deixam esse Domingo de Ramos! O Mestre nos ensina, com fatos e exemplos, que o Reino d’Ele, de fato, não é deste mundo. Que Ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas veio para derrubar um inimigo muito pior e invisível: o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruir a morte; perder a vida para ganhá-la. A muitos o Senhor Jesus decepcionou; pensavam que Ele fosse escorraçar Pilatos e reimplantar o reinado de Davi e Salomão em Israel; mas Ele vem montado em um jumentinho frágil e pobre.

Muitos pensam: “Que Messias é este? Que libertador é este? É um farsante! É um enganador merece a cruz por nos ter iludido”. Talvez Judas tenha sido o grande decepcionado. O Domingo de Ramos ensina-nos que a luta de Cristo e da Igreja e, consequentemente, a nossa também, é a luta contra o pecado, a desobediência à Lei sagrada de Deus, que hoje é calcada aos pés até mesmo por muitos cristãos que preferem viver um Cristianismo “light”, adaptado aos seus gostos e interesses e segundo as suas conveniências. Impera, como disse Bento XVI, “a ditadura do relativismo”. O Domingo de Ramos nos ensina que seguir o Cristo é renunciar a nós mesmos, morrer na terra como o grão de trigo para poder dar fruto, enfrentar os dissabores e ofensas por causa do Evangelho do Senhor. Ele nos arranca das comodidades e das facilidades, para nos colocar diante d’Aquele que veio ao mundo para salvar este mundo."

Fonte: Professor Felipe Aquino;
http://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/quaresma/a-importancia-do-domingo-de-ramos/

sexta-feira, 27 de março de 2015

Programação da Semana Santa 2015


Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Irmãos, segue abaixo nossa programação a partir do dia de amanhã em nosso Carmelo:

Dia 28/03 – Missa às 06:30hs e após a Missa 1 hora de oração pela Paz, também pelo V Centenário de Nascimento de Santa Teresa de Jesus.


                                SEMANA SANTA

Dia 29/03 – DOMINGO DE RAMOS – Missa às 08:15hs;

Dia 30/03 – SEGUNDA-FEIRA – Missa às 7hs;

Dias 31/03 e 01/04 – TERÇA E QUARTA – Missa às 06:30hs;


                                   TRÍDUO SANTO

Dia 02/04 – QUINTA-FEIRA SANTA  Ceia Do Senhor a Santa Missa será às 17hs;

Dia 03/04 – SEXTA-FEIRA SANTA Função Litúrgica às 17hs;

Dia 04/04 - SÁBADO SANTO a Vigília Pascal será às 19:30hs;

Dia 05/04 – DOMINGO DA PÁSCOA a Santa Missa será às 9hs.